Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Introvertida

Introvertida. Intuitiva. Sentimental. Perceptiva.

21
Abr22

Dominando o Humor

Pergunta Original: Como posso dominar o meu humor?

Auto controlo.

Praticar a atenção e auto conhecimento para saber quando posso e devo retirar-me de uma situação.

Conhecer bem as emoções e respectivos gatilhos para antecipar crises e explosões, e poder contê-las.

Saber como canalizar as emoções de forma construtiva em vez de as reprimir e fingir que não existem.

Acho que, como qualquer outra pessoa, nem sempre sou boa nisto. Há momentos em que me apetece e quero explodir. A Ira é o meu pecado capital.

tame emotions.JPG

ilustração criada em Canva

12
Abr22

A Cura pela Filosofia

Pergunta Original: What healing can philosophy help me find today?

Eu acho que nem sei bem o que é filosofia... Muito menos sei como a aplico no meu dia a dia. O que tento fazer todos os dias é não criticar as personalidads nem as escolhas dos outros. Não julgar.

Tento reflectir sobre o que faço e sobre o que posso melhorar. Como posso dar o exemplo. Tento procurar e conhecer a mim mesma através dos outros.

Auto análise com a finalidade de me tornar numa pessoa melhor. Mais compassiva e calma. Aceitar o que não posso mudar. Sou um pouco viciada em teorias mas a aplicação das mesmas no meu dia a dia é muito complicado. É precisa muita concentração e consciência em tudo o que faço e digo quando, muitas vezes, só me apetece despejar tudo o que sinto.

IMG_20220410_162328.jpg

ilustração minha

10
Mar22

as coisas que não importam

Pergunta original: Am I content to be clueless about the things that don't matter?

Depende do que for. Há assuntos que não me interessam e há outros sobre os quais tenho curiosidade, ou não tivesse eu uma costela de coscuvilheira. Tenho cada vez menos interesse (se algum me resta!) em TV e "personalidades". Não conheço estas novas gerações de conhecidos e as caras são todas iguais... Não vejo novelas nem coisas de realidade, já quase não vejo notícias (refiro-me às de TV) e muito raramente me detenho num canal quando faço zapping.

Não sei a cem porcento o que não importa mas acho que me agrada a minha ignorância, sim.

empty head.jpg

ilustração criada em Canva

17
Jan22

Comparações

Pergunta original: What ruler do I measure myself against?

Sei que nos comparamos sempre com os outros. Na minha idade, e no meu caso, torna-se difícil não me comparar com outras mulheres da mesma faixa etária ou até mais novas, especialmente em assuntos do coração.

Primeiro, não me considero mulher. Não me perguntem porquê mas simplesmente não me sinto mulher. Sinto-me uma criança inocente e ingénua. Falta-me experiência no campo do amor romântico e grande parte das conversas por esse mundo fora são sobre relações e não me consigo sentir envolvida nem fazer parte do mundo por não conseguir falar nem ter sobre que falar sobre este tema.

Aproximo-me perigosamente dos 35 anos e é, efectivamente, dificil não me comparar com mulheres desta idade ou mais novas que têm vidas preenchidas, um lar delas próprias ou partilhado com parceiros e filhos. Aquilo que me unia aos outros dissipa-se e separamo-nos por falta de assunto em comum. Por estarmos em fases diferentes da vida, pela minha falta de objectivos e pela inveja que sinto de quem os tem ou de quem, simplesmente, vive conforme o que a vida lhe vai presenteando. Sim... a inveja é um sentimento feio mas toda a gente a sente e eu exponho a minha por aqui.

Há cerca de um mês escrevi uma carta de cerca de 4 páginas para enviar a duas pessoas com quem deixei de falar quando estava em baixo. Um dos objectivos da carta era dar a conhecer aquilo que considero ser o meu eu real. Porque todos nos conhecemos do que queremos mostrar em sociedade e em convívio mas nunca mostramos as nossas sombras. E foi isso que tentei fazer. Com outras pessoas à minha volta sou bem disposta, ligeira e faço piadas, quando na realidade, no meu íntimo, sei que não estou a ser real. Quero estar mais calma e parada, mais séria e desfazer o sorriso gelado. Nesta carta explico a minha necessidade de tempo a sós para me recompor e encontrar. No barulho dos outros não me consigo encontrar e, aos 35, só me conheço por comparação com os outros. Sei o que sou e o que não sou e o que quero ser e não ser apenas por comparação com os outros. Preciso de silêncio para compreender as minhas emoções e sentimentos, atitudes e acções e perceber como me afectam a mim. Não aos outros. Felizmente tenho um compasso moral bem calibrado e sei o que é certo e errado mesmo quando ajo no calor da emoção e o desabafo sabe bem.

Hoje costuma-se ouvir que nos devemos sempre comparar à pessoa que fomos ontem.

comprações.jpg

ilustração criada em Canva

07
Jan22

Estudo, Pratico, Treino

Pergunta original: What am I studying, practicing, and training?

faz um ano este mês que me juntei à nova acrópole. quero muito que se torne algo a longo termo. é tudo o que eu sempre quis saber, estudar e compreender. um curso de filosofia prática não serve de nada se não existir a prática. não posso dizer que pratico a matéria e valores ensinados todos os dias e a toda a hora mas, lá está!, faço um esforço consciente para ser uma pessoa melhor (uma vez que mais facilmente identifico os meus defeitos). não apenas uma pessoa melhor para os outros mas uma pessoa mais calma, controlada e firme. real, alinhada com os valores que realmente interessam. viver em sociedade torna-se desafiante por esta razão. esquecemo-nos de quem somos e colocamos de lado a nossa essência para respondermos de forma egoísta às provocações dos outros.

sun philosophy.jpg

ilustração criada em Canva

05
Jan22

Mantra

Pergunta Original: What is my mantra today?

O conceito de mantra tem um significado mais complexo e profundo que aquele que lhe damos no Ocidente. Contudo, se pensarmos no mantra como uma frase na qual nos focamos e que repetimos quantas vezes necessárias para nos sentirmos melhor ou para imprimir uma certa ideia no nosso inconsciente, então a que mais uso no meu dia a dia é: "Eu estou bem e tudo está bem", aplicando sempre verbos no presente.

Foi a frase que comecei a repetir a mim mesma em momentos de stress ou ansiedade extrema em que sinto que vou começar a perder o controlo.

Om mani padme hum.jpg

ilustração feita no Canva

Mais sobre mim

Maio Significativo

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D