Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

INFP

Introvertida. Intuitiva. Sentimental. Perceptiva.

24
Jul20

Satisfação

Ao que parece existe uma diferença entre prazer e satisfação. Nunca tinha pensado no assunto e no que distingue estas duas sensações.

Prazer é imediato e nada acrescenta ao nosso desenvolvimento pessoal, enquanto que satisfação é sentida através da realização de tarefas que nos trazem uma sensação de "dever cumprido", uma ultrapassagem de obstáculos e desafios ou o atingir de objectivos que nos enriquecem e que permitem a nossa evolução espiritual (?).

Em 2017 comecei a fazer voluntariado numa loja comunitária. A única opção que a associação tinha na altura era o tipo de trabalho do qual muita gente foge mesmo neste regime: atenção ao cliente. A ideia era manter-me minimamente ativa e quando comecei a trabalhar até contei com um beneficiozito fiscal. Costuma-se aconselhar voluntariado a pessoas com depressão mas agora percebo que não é bem este tipo de voluntariado. Pelo menos não para mim. Estar fechada numa micro loja quando em dias de calor ou chuva não entrava vivalma, ser ombro amigo de "tias de Cascais wannabe" com o vício das compras, ter de aturar rebarbados. Sendo uma moça observadora, ainda assim foi uma experiência interessante. Apanhar os vícios e tiques das pessoas, olhar pelo canto do olho que tipo de livros ou papeladas carregam na mão e ouvir com interesse muitas histórias que me foram contadas, boas e menos boas. O meu mandato não durou nem 2 anos mas quero acreditar que fiz a diferença nem que tenha sido a tirar excesso de trabalho à gerente da loja.

Hoje em dia acredito que a minha maior lição é mesmo saber lidar e viver em harmonia com a minha depressão e os episódios de hipomania. Não sendo nenhuma entendida no assunto compreendo a complexidade do ser humano, da mente e de tudo o que se passa no nosso cérebro que ainda nem sequer a ciência conhece. Estes desafios diários têm sido, sem sombra de dúvida, a minha maior fonte de desenvolvimento pessoal. Não só me permite compreender a mim como aos outros. A minha capacidade de empatia é enorme (não me querendo gabar), embora às vezes vire costas e bata com a porta.

daqui

2 comentários

Comentar post