Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

INFP

Introvertida. Intuitiva. Sentimental. Perceptiva.

26
Jul20

Retiro no Luso

Há uns anos apanhei o comboio regional da Guarda a Coimbra. A passagem pela estação do Luso ficou-me na memória e na lista de sítios a visitar. Já tinha feito uma pequena excursão ao Palácio do Buçaco mas nunca tinha explorado a mata. E foi esse o plano que fiz no início de Junho. A CP estava (e ainda está) com boas promoções em viagens e, por menos de 20 Euros, ida e volta, fui até ao Luso na semana passada. Abusei um bocadinho no número de noites porque pensei que fosse capaz de fazer mais caminhadas mas, tal não aconteceu.

A vila do Luso situa-se a norte na mata do Buçaco e é conhecida pela qualidade da água proveniente de chuva infiltrada na serra, e pela sua utilização termal. Pelas bicas da fonte de S. João passam dezenas ou centenas de pessoas diariamente em busca da melhor água. Nunca gostei muito da Luso engarrafada mas a da bica é muito boa! Fresquinha, era a primeira coisa em que pensava assim que acordava e a última antes de me deitar - encher garrafas.

Apesar de ser uma viagem curta de comboio, sentia-me cansada e a tarde do dia em que cheguei foi para dar uma pequena volta à vila. Ao segundo dia lá me aventurei na mata. Os trilhos estão bem marcados mas há sempre espaço para aventuras... desde que haja tempo até ao pôr do sol no caso de me perder.  A mata faz lembrar muito a serra de Sintra. Densa e mística. Há riachos e cursos de água por todo o lado, muita vegetação e lagos e espaços para convívio além do Palácio (hoje hotel) e do convento de Sta. Cruz do Buçaco.

Consegui ainda uma marcação nas termas que infelizmente estão a menos de meio gás. A vila tem sofrido imenso com a baixa na Turismo. O calor apertou de tal forma que não fui capaz de fazer uma das caminhadas previstas. Tive de me contentar com as piscinas municipais para refrescar a mioleira.

      

4 comentários

Comentar post