Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

INFP

Introvertida. Intuitiva. Sentimental. Perceptiva.

19
Jun20

Jeffrey Epstein

O gajo que era podre de rico

Acho que, como a maioria das pessoas, desconhecia a personagem até ao ano passado. Estive a ver a série da Netflix sobre o caso dele e é uma história de pasmar. São apenas 4 episódios e quem está disposto a isso consegue ver tudo de uma vez. O facto de terem mantido a séria curta é uma forma de cativar o público e concentrar a informação mais sumarenta e relevante.

Deu-me para pensar na complexidade do ser humano, em como somos todos diferentes nas formas de reagir ao abuso e ao medo. Como somos diferentes na forma de sofrer e como cada vítima carrega ainda um sentimento de culpa enorme que, provavelmente, nem o suicídio de Epstein traga resolução nem conforto.

O estatuto de bilionário abria-lhe o caminho para conseguir quase tudo e ser tratado de forma diferente. O dinheiro comprou-lhe quase tudo mas não o livrou da morte. Epstein escreveu o seu testamento duas semanas depois de ser atacado na prisão e dois dias antes de morrer. Até lá, depositava dinheiro em contas de outros presidiários para impedir mais ataques. A sua morte e subsequente autópsia deram origem a várias teorias que rejeitam a hipótese de suicídio.

É uma série que arrepia e levanta imensas questões em relação à pessoa que era Epstein e aconselho vivamente.

2 comentários

Comentar post