Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

INFP

Introvertida. Intuitiva. Sentimental. Perceptiva.

23
Abr20

Introversão

O termo foi introduzido no nosso vocabulário por Carl Jung. Este acreditava que a nossa consciência se expressa através de uma atitude introvertida ou extrovertida.

Introversão e Extroversão fazem parte do mesmo espectro. Uma pessoa não é totalmente introvertida nem totalmente extrovertida mas tem sempre uma maior tendência a um destes traços. Ao longo da vida e mesmo ao longo do nosso dia a dia, adaptamos esta nossa atitude às diferentes situações com que temos de lidar e pode um introvertido apresentar traços mais extrovertidos e vice-versa.

Uma pessoa extrovertida busca energia e gratificação em estímulos exteriores, no contacto com os outros. Sente-   -se à vontade em ambientes agitados. São assertivos e sociáveis. Crê-se que a maioria da população mundial seja extrovertida, mas por uma margem bastante pequena.

Por seu turno, os introvertidos são mais reservados, contemplativos e buscam energia na reflexão, sentindo-se rapidamente esgotados em situações sociais. São os que falam menos e pensam muito antes de o fazer, são os "cabeça no ar" desta vida.

Algumas das caraterísticas mais comuns aos introvertidos são a necessidade (e gosto) por tempo a sós. Há muita coisa que conseguimos fazer na nossa própria companhia. Uma das razões pelas quais este assunto me interessa é o facto de até há uns anos atrás não conseguir compreender muitas coisas que fazia. Desde não querer ver quem  toca à campainha ou bate à porta de casa, a ter pavor de atender e fazer chamadas telefónicas, especialmente de e para números que não conheço. A conversa de circunstância...  Além de fugir a sete pés de ambientes sociais (quanto mais gente pior), nunca fui pessoa de falar nem dar opiniões. Prefiro escutar, atender às formas de ser e estar e falar dos outros à minha volta. Quando era mais nova, rever os meus amigos de escola depois das férias de verão era como rever pessoas que nunca antes tinha conhecido. Nunca compreendi a necessidade de falarmos uns por cima dos outros para ver quem fez ou sabe mais.

daqui

Até que numa daquelas infinitas pesquisas de Internet, descobri os tipos de personalidades e o conceito de introversão serviu-me que nem uma luva.

Como há relativamente pouco tempo entrei na casa dos 30, acredito que ainda estou na faixa etária que se quer extrovertida. Fazer e viver o mais possível como se o mundo acabasse amanhã. Esta introversão sempre me fez sentir bastante alienada do mundo. Muita gente a vê como uma não qualidade a ser abordada como algo que tem de ser mudado.

Estamos numa era de #movimentos e aceitação de diferentes formas de estar, transição para diferentes estilos de vida. Para os introvertidos que se sentem diferentes, está na hora de aceitar esta nossa forma de ser, e fazer aquilo que nos faz sentir melhor e que serve os nossos interesses e promove o nosso bem estar.

5 comentários

Comentar post