Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

INFP

Introvertida. Intuitiva. Sentimental. Perceptiva.

01
Set20

Egocentrismo

Há uns anos comecei a trabalhar na mesma equipa de uma amiga. Conhecemo-nos na faculdade mas apenas nos tornámos amigas depois. Fizemos algumas viagens juntas sem qualquer problema e, alguns sucessos na sua vida tornaram-na uma pessoa quase completamente diferente. A pessoa humilde (embora um pouco empertigada) que conhecia tornou-se, num espaço de quase 10 anos, em alguém cuja auto estima roça a arrogância e egocentrismo.

Ao fim de alguns anos sem a ver notei, de imediato e com algum desconforto, nesta nova forma de se expor. Qualquer pergunta que faça a terceiros tem em vista desviar, de alguma forma, o assunto para si própria e para as suas aventuras ou qualquer acontecimento sem importância. Em modo emigrante, "lá fora é que é, em Portugal nada funciona" ou "sempre ganhei imenso e cá não ganho suficiente para sequer poupar". Fala por cima dos outros, sem esperar um melhor momento, para contar mais detalhes maravilhosos da sua iluminada existência. Acha que deveria ganhar mais por falar línguas que mais ninguém fala (quando a empresa não paga A NINGUÉM subsídio de línguas) ou porque está sempre em cima dos outros departamentos e faz mais do que lhe compete ou porque se acha mais inteligente que os outros. Os salários dos outros deveriam ser ajustados em função do seu, vá-se lá compreender porquê... Se o seu salário vai ser aumentado (para números que só sonhando) os salários dos outros terão de ser ajustados. As decisões da diretora também são feitas só para a chatear porque "eu faço-lhe frente" e exige pedincha o que lhe convém.   A minha paciência começou a esgotar-se e comecei a afastar-me. A minha saudinha mental não dava para tanta conversa, tanto estímulo e tanta cagança. Acha que todo o mundo olha, interessa-se e toma nota do que diz e faz. Seja porque come bolo e acha que o mundo critica quando, na realidade, ninguém está nem aí, seja porque a sua cultura (meio estrangeira) é perfeita e tem de passar um almoço inteiro a explicar comidas e bebidas e rituais e vestimentas e festivais e fiz istofiz aquilo... e o raio que a parta que já ninguém está a ouvir. Depois comecei a notar no seu método de conseguir as coisas... flirt: risinhos e voz de bebé. Com todas as pessoas. Homens e mulheres, novos e velhos, desde que lhe seja vantajoso.

daqui

Num belo dia de dezembro reparei que a sua atitude comigo estava muito diferente. Mal olhava para mim e quando falava comigo sentia-lhe um amuo de criança e não percebi porquê. Durou alguns dias. Pouco falávamos e já não combinávamos umas ocasionais bebidas depois do trabalho para fazermos um catch up dado já não trabalharmos na mesma equipa. No final desse mesmo mês soube que foi por causa de um gajo. Um gajo que é como um irmão para mim. A quem nunca sequer demonstrei interesse amoroso e, como sempre, vivendo na minha bolha e nunca me apercebendo do que se passa à minha volta (não obstante os jantares "sobre trabalho" que aconteciam entre os dois), nunca reparei que havia interesse mútuo entre eles, tratando-o como sempre tratei.

Só um mês depois é que me caiu a ficha e senti como tinha sido tratada. Um misto de traição e desconfiança. Julgada por algo que não tinha feito. Numa semana que tive de férias, deixei de comer. Perdi imenso peso. Deixei de dormir. Não me levantava da cama. As lágrimas não paravam de correr. De pessoas conhecidas que tenho, só 3 é que me são próximas e, apesar dos seus defeitos, esta era uma delas.

Escrevo este post porque durante bastante tempo senti-me encurralada nos meus sentimentos. Naquilo que sinto e no que devia sentir por ela. Esta é uma das pessoas que mais paciência tem para me aturar e, apesar das minhas flutuações de humor, afasta-se quando acha que deve mas nunca deixa de me contactar para ver como estou.

Esta estória, como a própria História, tem mais detalhes que fazem a diferença. Mas conto-a não só pelas lições que me ensinou como pela importância que a paciência e compreensão têm nas nossas vidas. Mas para que isso aconteça é mais importante ainda uma boa comunicação baseada em confiança.

Pág. 7/7

Mais sobre mim

Fórum Saúde Mental Portugal

A Ler

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D