Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

INFP

Introvertida. Intuitiva. Sentimental. Perceptiva.

25
Jun20

O Passarinho Azul

Curiosamente, pássaro azul é um prenúncio de felicidade e harmonia.

Prefiro falar do meu passarinho azul do que do meu cão negro.

 

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I'm too tough for him,

I say, stay in there, I'm not going

to let anybody see

you.

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I pour whiskey on him and inhale

cigarette smoke

and the whores and the bartenders

and the grocery clerks

never know that

he's in

there.

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I'm too tough for him,

I say,

stay down, do you want to mess

me up?

you want to screw up the

works?

you want to blow my book sales in

Europe?

there's a bluebird in my heart that

wants to get out

but I'm too clever, I only let him out

at night sometimes

when everybody's asleep.

I say, I know that you're there,

so don't be

sad.

then I put him back,

but he's singing a little

in there, I haven't quite let him

die

and we sleep together like

that

with our

secret pact

and it's nice enough to

make a man

weep, but I don't

weep, do

you?

24
Jun20

Coisas Que Chocam

Esta manhã tive uma consulta e logo depois fiz um desvio pela praia antes de voltar a casa.

No principal caminho pedonal até à praia iam duas crianças, uma com uma filha e outra com um casal de filhos. O rapaz com os seus 6 anos e a rapariga com 4 no máximo. À menina de 4 anos saiu-lhe o chinelo e não estava a conseguir colocar os dedinhos da forma certa.

A mãe, já sem paciência, exclama: "Mete o pé, f*dasse!"

E é isto...

22
Jun20

...

sim... mais um post sobre depressão

A depressão é uma doença e qualquer pessoa pode senti-la se não trabalhar e desenvolver uma boa forma de saber lidar com as emoções.

Creio que a maior parte das depressões sentidas nos dias de hoje são ocasionadas por uma perda (às vezes nunca ganha) de identidade.

Não é só tristeza e não é algo que qualquer pessoa possa e consiga compreender. E por vezes é esta a razão porque não nos abrimos e desabafamos com as pessoas que, sabemos, estarão sempre ao nosso lado e mais nos querem ver felizes. Por vezes os piores comentários (embora de forma não intencional) são tecidos por estas mesmas pessoas que, uma tentativa de bem fazer, desconsideram sentimentos já sombrios e turvam ainda mais os pensamentos de quem sofre num silêncio tumultuoso.

Por esta razão, o acompanhamento psicológico é tão importante. Nem sempre os amigos nem a família podem ajudar. Nem sempre sabem o que dizer quando o fazem nem sempre nos faz sentir melhor.

Há uns três anos estava eu numa das minhas piores crises quando o meu rendimento no trabalho sofreu. Durante uma avaliação com a minha superior contei-lhe que estava a passar por uma fase menos boa e tinha sido diagnosticada há 3 anos com uma depressão. À pergunta dela, respondi que não tomava medicamentos porque não surtiam qualquer efeito no meu caso e tinha simplesmente deixado de os tomar. A resposta dela ainda hoje me atormenta, infelizmente. É algo que a minha memória ainda vai buscar quando a nuvem chega. Disse-me que sabia o que era depressão porque tinha amigos que tomavam medicação e um ex-namorado se tinha suicidado pelo que, se eu não tomava medicação não poderia ser assim tão grave. Não me passou na avaliação e, na próxima vincou ainda mais a sua opinião reiterando que eu não a convencia e que, ademais, era uma influência negativa para toda a equipa. Escusado será dizer que não sequer valia a pena continuar ali e apresentei, pouco depois, a minha carta de demissão. Por muito que conte esta história, este é um capítulo mal encerrado.

As doenças de foro psicológico são cada vez mais comuns mas interessa compreender o porquê. Quebrar as correntes. Abrir-nos e partilhar-mos as nossas vulnerabilidades para que percebamos que nenhum sentimento nos é exclusivo. Todos temos dúvidas sobre o caminhho que estamos a fazer e nem sempre o que sentimos no interior se reflecte no exterior.

Depressão mata e basta um segundo da nossa vida na mais obscura solidão. 

20
Jun20

Feliz Solstício

Apesar de viver relativamente perto do mar, sempre tive uma relação de amor-ódio com o verão e idas à praia por razões que não vale a pena explicar.

Gosto muito de tempo quente, de apanhar sol e sabe pela vida estar estirada na areia num merecido descanso de preferência com uma bola de berlim fresquinha na mão. Adoro a cor azul mas... sou pessoa de serra e prefiro estar rodeada pelos castanhos e verdes, pela calma e silêncio que emite.

Talvez por ter a serra de Sintra como referência, associo as densidades das matas e serras ao mistério e misticismo. O silêncio dos seus ruídos incita à busca pelo desconhecido e ao desbravamento do medo.

IMG_20170525_163148288.jpg

Neste ano de 2020, o solstício de Verão ocorre precisamente neste momento, 20 de Junho pelas 22h43 e como as suas celebrações poderão remontar à Idade da Pedra, ficam aqui algumas curiosidades.

Dia 21 de Junho o nosso planeta Terra será agraciado com um eclipse solar anelar, infelizmente não visível por terras lusas. Para os que gostam que astrologia , um eclipse é sempre um sinal de mudança. Este proporciona um bom momento para resolver questões do passado. Para seguirmos em frente precisamos de nos livrar de mágoas, traumas e emoções negativas.

19
Jun20

Jeffrey Epstein

O gajo que era podre de rico

Acho que, como a maioria das pessoas, desconhecia a personagem até ao ano passado. Estive a ver a série da Netflix sobre o caso dele e é uma história de pasmar. São apenas 4 episódios e quem está disposto a isso consegue ver tudo de uma vez. O facto de terem mantido a séria curta é uma forma de cativar o público e concentrar a informação mais sumarenta e relevante.

Deu-me para pensar na complexidade do ser humano, em como somos todos diferentes nas formas de reagir ao abuso e ao medo. Como somos diferentes na forma de sofrer e como cada vítima carrega ainda um sentimento de culpa enorme que, provavelmente, nem o suicídio de Epstein traga resolução nem conforto.

O estatuto de bilionário abria-lhe o caminho para conseguir quase tudo e ser tratado de forma diferente. O dinheiro comprou-lhe quase tudo mas não o livrou da morte. Epstein escreveu o seu testamento duas semanas depois de ser atacado na prisão e dois dias antes de morrer. Até lá, depositava dinheiro em contas de outros presidiários para impedir mais ataques. A sua morte e subsequente autópsia deram origem a várias teorias que rejeitam a hipótese de suicídio.

É uma série que arrepia e levanta imensas questões em relação à pessoa que era Epstein e aconselho vivamente.

18
Jun20

Cocas

Costumo dizer que herdei os defeitos do meu pai. Mas foi ele que me passou o gosto por duas das coisas que mais me fazem feliz: natureza e animais.

Quando o Cocas veio cá para casa, eu não estava cá. Foi adotado uns meses depois de eu ter saído do país.

Cresci num ambiente pouco harmonioso, pesado onde a comunicação nunca abundou. Desde que voltei, há 3 anos atrás, notei como este gato se tornou um elo de ligação entre os membros desta família. Passou a ser o foco da casa, o membro mais importante e provavelmente o mais bem tratado!

Nunca tivemos animais. Em parte porque vivemos num apartamento (a desculpa que nos davam) e as responsabilidades iriam sempre ser dos mesmos (mas no fundo é sempre assim). A questão da limpeza era outra barreira para termos animais, e a disponibilidade para saídas à rua no caso de termos um cão e deixá-lo em casa sozinho (já tivemos vizinhos que deixavam a cadela a chorar todo o dia).

O Cocas chegou-nos através de família e veio para evitar que ficasse fechado na transportadora todo o dia. É um siamês amarelo de pelo denso, super dócil e que adora ser mimado. Não gosta das coisas que um gato normal não gosta... ser lavado, ser pegado ao colo, aspiradores e ir na transportadora mas é louco por peixe, festas na barriga e ser escovado.

Costumamos dizer que lhe saiu a sorte grande mas a nós também.

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D